2014/10/24

29 - Gaiola de passarinho - NÃO

Voltando, depois de longos e tenebrosos invernos, aproveito a primavera para dar o ar da graça :)

E, na primavera, as flores desabrocham, o tempo esquenta e os animais pululam de lá pra cá. Hoje, andando numa rua bem movimentada do Centro, ouvi um passarinho cantar bem forte. Parei, fiquei ouvindo. Olhei pra cima, na direção do som. Ele vinha da copa de umas árvores recentemente podadas. Até que... ele voou! E eu o vi. Lindo, um pássaro cinza meio azulado que depois de umas buscas no google eu suponho ser um sanhaço cinzento.



Já o tinha visto voando há umas quatro semanas. É bicho novo nessas paradas urbanas, que de uns anos pra cá vem se enchendo de novas espécies (o reinado absoluto e monopolista do pardal é coisa do século passado).

Das buscas no google acabei no youtube e vi vídeos lindos como esse: um ninho de sanhaços com 4 filhotinhos! e vídeos que mostram os sanhaços cantando lindamente, mas presos em gaiolas.

Meu avô tinha um canário lindo numa gaiola. Meu irmão, por muito tempo teve um canário. Um tio meu tinha curiós que ele tratava como filhos (em gaiolas). E eu mesma já comprei e dei passarinhos de presente. Um casal de mandarins (acho que é esse o nome da raça de passarinhos bem pequenininhos, preto e branco, com bico vermelho). Coloquei os dois numa gaiola e os pendurei na sala, perto da janela. Não duraram uma noite. Amanheceram mortinhos! Acho que não resistiram ao frio da noite... Fiquei triste com a morte dos bichinhos e com o presente mais micado que já dei na vida. Mas não foi ali que deixei de achar a gaiola uma má ideia.

Não sei precisar quando foi isso, mas acho que passei a me incomodar com gaiolas quando tive a oportunidade de observar mais os passaros em seu habitat natural: a cidade em que eu moro! hahaha. Sim, depois de ver os bichos voando no céu, construindo seus ninhos nas árvores, nos postes de luz, nos buracos nos prédios, procurando comida, ensinando os filhotes a cantar, caçando como gaviões ou fugindo dos gaviões, fica difícil encarar um bicho dessas preso num espacinho tão pequeno.

O pássaro é passaro no céu. É pássaro no voo que une o céu ao ninho. É pássaro quando busca palha ou quando busca comida. É pássaro quando canta e quando recebe em resposta o canto do companheiro lá da outra árvore.

Na gaiola, ele não é pássaro, é pássaro na gaiola, coisa muito diferente.

Nos vídeos que mostram os pássaros nas gaiolas, tem gente perguntando se eles estão a venda. Pois é. Esse interesse aponta para a mentalidade que está por trás do objeto gaiola de passarinho... uma mentalidade que espero já tenha sido superada daqui cem anos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário